segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Garrafa Magnética e Imãs Supercondutores

Há muito tempo, era um sonho dos cientistas encontrar materiais

condutores cuja resistência elétrica, fosse tão baixa que o transporte
de correntes exigisse menor dispêndio de potência. As baixas
temperaturas, atingidas depois que a liquefação do hélio se tornou um
processo prático(1911), demonstraram a existência de inúmeros materiais
cuja resistência elétrica, abaixo de certa temperatura, se torna nula. Entre
outros: Alumínio(1,2ºk), Estanho(3,7ºk), Chumbo(7,2ºk).
Todo esse problema aparece com nitidez nas experiências com energia
nuclear para fins pacíficos(*fusão).É que os materiais empregados se
vaporizam a temperaturas ainda inferiores às necessárias para desencadear
a fusão. O remédio encontrado consiste em manter os núcleos de deutério
(Hidrogênio) em íntima conexão com campos magnétcos e elétricos num
recipiente que é uma “garrafa magnética”, em que o gás é aquecido por descargas elétricas de alta intensidade.
 
Imãs Híbridos(supercondutores) : O imã híbrido é um poderoso supercondutor, que consiste de um magneto resistivo(forte resistência) rodeado por um imã supercodutor. A maioria é composta por sistemas, que
mantêm o frio suficiente para operar.


– bibliografia: Conhecer, editor Victor Civita, pág. 1085, livro V, pág.683, livro III, SP-1973.
National High Magnetic Field Laboratory(internet)

Nenhum comentário:

Postar um comentário