terça-feira, 5 de junho de 2018



                                                                 Vírus
                                                                     
                                                          
                       O que são?                                    
Vírus são partículas proteicas inativas com forma de cristais, capazes de multiplicar-se e causar doenças, quando ativos dentro de um organismo vivo.

Segundo a hipótese da Panspermia Cósmica, proposta no final do século XIX, nosso planeta foi povoado por  seres vindos de outras regiões do Universo. 

Neste caso, cabem os vírus que são inativos na forma de cristais fora do organismo vivo. Esta teoria tem um apoio na comprovação de que uma substância inorgânica (não viva) se transforma em um composto com característica viva, como já citado em um outro post (F.Wholer), na qual compostos inorgânicos se transformam em compostos orgânicos por aquecimento.  

O estudo levou-me ao Estudo da especificidade eletrostática do vírus aqui descrito:

“As cargas elétricas em um gás (# líquido) é denominado movimento browniano. Portanto, se diz que é um movimento errático, porém determinado suas cargas elétricas em extremidades do vírus, poderemos determinar a sua probabilidade em termos percentuais na qual determinaremos se estará em tal posição(espaço=s(m) e tempo=t(s)) e Quantidade de carga (+ou-) probabilísticas em m/s. A seguir: os vetores- do interior (+) e exterior (-) do vírus”.





Referências

Mourão Junior, Carlos Alberto. Biofísica Essencial/Dimitri Marques Abramov – Rio de Janeiro, Guanabara Koogan ,2012.                                                                                                                  

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

                                         FUSÃO a FRIO  ( LENR)
                            LOW ENERGY NUCLEAR REACTIONS


Cheguei a conclusão que estamos realmente em um novo tempo, pois às transformações  e informações são de otimismo, apesar  às vezes dos momentos difíceis por qual nós passamos.
É com alegria e entusiasmo que as condições energéticas no mundo estão sendo asseguradas. Principalmente por energias alternativas possíveis e comprovadas cientificamente viáveis .
Agora mesmo, obtive que o LENR ou Fusão à Frio está se consolidando. As provas científicas são robustas, positivas e inspiradoras num futuro, que estamos construindo.
No momento as provas científicas que me debrucei foi a observação dos dados do CERN( Geneva, Switzerland) de 2017 a presença de vapor neutro do rubídio, que é usada como fonte de plasma no experimento.

foto do aquecedor cerâmico




                        Outra análise e pesquisa feita a temperatura ambiente foi obtido energia elétrica da água(H2O), através  do reator obtendo excesso de potência através do deutério, isto sem estar em contato com ar, no Jornal of  Condensed Matter Nuclear Science.


foto do plasma no aquecedor cerâmico
                                



reator e caixa protetora




























Também e melhor foi a teoria TGD(Dynamic geometric topography), capaz de dar condições a todos estes conceitos.

Níquel após tratamento



                                         Estamos  realmente em um novo momento da Humanidade.


REFERÊNCIAS :

Journal of Condensed Matter Nuclear Science

A Rubidium Vapor Source for a Plasma Source for
AWAKE
G. Plyushchev1;2, R. Kersevan1, A. Petrenko1, P. Muggli3;1
¹CERN ,Geneva, Switzerland
²Ecole Polytechnique Fedérale de Lausanne, Switzerland
³Max Planck Institute for Physics, München , Germany(arxiv:708.08280 v1)

TGD and Astrophysics – M.Pitkänen

NASA Glenn Research Center “ LENR Phenomenon”

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Anestesia Extracorpórea de Pulsos Elétricos




   História da eletricidade: Desde muito tempo a eletricidade tem sido usada para muitos fins, foi quando da descoberta de Benjamin Franklin, que identificou cargas elétricas negativas e positivas  em que o raio era de natureza elétrica. Assim, eu mesmo duvidei de que pudesse ser usada para anestesia. Atualmente, ela tem sido usada para fins terapêuticos tendo características próprias.

   Inicialmente este projeto é designado como anestesia preemptiva, pois significa que a anestesia é feita antes do procedimento cirúrgico e controlado através de sistemas como pressão, temperatura e sensores. "Nós sabemos hoje, que o SNC (sistema nervoso central) é o centro nervoso e que comanda através de feedback, bomba de Na e K, ATP, canais de de vazamento PA Na+ K+ acumulando íons negativos no interior da célula todos estes levam a despolarização de membranas e emissão do estímulo nervoso, sendo caracterizado por um DDP -90mV.



(Célula)

                           
  Até algum tempo atrás não havia possibilidades de fazer a anestesia através de uma corrente elétrica. O primeiro passo para este processo foi respondido com a descoberta de repouso dos neurônios, que é por volta de -70mV. A partir daí o processo é intrincado e de difícil solução. Os objetivos terapêuticos em especial na anestesia são: emergências, convulsões, cirurgias em lugares sem acesso ou com acesso difícil, com perigo ao paciente devido a problemas com patologias. Casos sem solução de câncer e doenças degenerativas e necessidade de morfina, dores generalizadas, queimados devido a necessidade de assepsia, em guerras e também no espaço.






A inovação posterior como TMS e tDCS utilizados para estimulação magnética transcraniana nos casos de depressão.


Referências:

Fundamentos da Mecânica de Fluídos, Munson Bruce R.2004

Estimulação neuronal por eletrodos para Parkinson,USP(IPQ)






sábado, 6 de maio de 2017

As naves da Imaginação

   


                       
Ambulância Espacial

Taxi Espacial

link:As naves da Imaginação

micro naves


Star Trek
Star Trek( Nova Geração)                  




Agradecimentos : Autodesk(autocad)
Discoverybrasil.

















sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Black Hole (Buraco Negro)

                                                          Astrofísica e ficção


Durante muito tempo somente existia na concepção teórica do buraco negro (em 1916 o astrônomo alemão Schwarzchild encontrou uma solução para a teoria da Relatividade de Einstein que representa um buraco negro esférico.), porém já podemos identifica-lo com precisão, pois este era invisível aos telescópios, que agora foi identificado no centro da VIA LÁCTEA com o Observatório de RaioX Chandra da NASA (8 de fevereiro de 2012).



 Black Hole ( Buraco Negro)


        Concepção Teórica
Fórmulas: Física

R=2GM      (SCHWARZSCHILD)
       

V²=2CΔT


f= 1
    T (2¶R)

R²= V
      2


E=mc²

F= Gm1m2
           R
  
  Raciocínio Lógico


R= 2GM     →   2 GM    →  R=    G    →  R =G m1m2    →  G = F

       c²( m/E)           m/E                E                   R                  E          
                                                   
R = m1m2    →  G m1m2  =  m1m2  →  G = F   →  G= F   
    E                         F/E                                             mc²
   
c² = F_  → c²(V²) =  _F__    →  V²(2c∆T) = f.2GM       →
          Gm                    Rc².m       Gm1m2           c²(V²)
                                      2m
a equação quadrática → ( R)²= ( 2GM)²       →  aplicar na equação →
                                                    (c²

                                     →     ¶ R² = 2  = A












A=¶R²=2

 

 Interpretação geométrica espacial do buraco negro           
 A partir destes conceitos vamos para o futuro (ficção) e como seria fazer viagens virtuais aos buracos negros e identificamos algumas características especiais (Teoria), que deve ter: A princípio a ideia é que a nave emita uma frequência(f) (casco da nave) tal, que seja a mesma de um buraco negro; nós poderíamos viajar e adentrar um buraco negro, sendo que há a possibilidade de sair do mesmo, apenas do outro lado

                                   Sabemos que hoje isto é impossível para um ser humano
                                           viajar  muito perto de uma estrela de alta gravidade, que
                                             tem a massa como a do Sol, que além disso devemos           
                                             suportar a aceleração centrífuga para fora. (NASA, Virtual
                                             Trips Black Holes and Neutron Stars Page)  

Através de cálculos os quais deveriam ter algumas características especiais de uma nave e do buraco negro.
(nave espacial)     C²(velocidade da luz) =V=299 792 458 m / s
(nave e buraco negro)      f(frequência) = ¶ HZ
(buraco negro)            G(gravidade) =1
(buraco negro)          A (área) = ¶R²=2

Neste trabalho os aspectos visuais de uma viagem a um buraco negro. (vídeo feito por computador)






Referências
Hawking, Stephen. O Universo numa casca de Noz: Prevendo o Futuro. Edição 3º, Londres: ARX, pág111, 2001.
NASA, Observatório de Raio-X Chandra: Explorando o Universo Invisível, Disponível emhttp://www.nasa.gov/mission_pages/chandra/main/index.html
Acesso em: 30 de setembro 2013.
Nemiroff, Robert. Black Holes and Neutron Stars: Virtual Trips to Black Holes and Neutron Stars. Disponível em:
The Astrophysical Journal, 10 de novembro 2013 e   http://apod.nasa.gov/htmltest/rjn_bht.html